V Itinerância Musical Príncipe Francesco Maria Ruspoli na América Latina – 2019

A Itinerância Musical Príncipe Francesco Maria Ruspoli é fruto da colaboração entre a Associação Cultural Ruspoli de São Paulo (Brasil) e o Centro Studi e Ricerche Santa Giacinta Marescotti de Vignanello (Itália). Pela quinta vez em 2019, a Itinerância apresenta na América Latina suas produções, realizando concertos, conferências, masterclasses, residências e eventos, em colaboração com o Concurso Internacional de Música Barroca Príncipe Francesco Maria Ruspoli e com a contribuição científica do mesmo Concurso de Estudos Musicológicos.

A primeira etapa da Itinerância é o lançamento do IV Concurso de Estudos Musicológicos Euro-Latino-Americanos na América Latina e Caribe, sobre as relações musicais entre a Europa e a América Latina até o século XIX (a cerimônia de premiação acontece em agosto de 2020, em São Paulo), e a apresentação dos “Cuartetos Concertantes” de Pedro Ximénez Abrill Tirado (Arequipa 1784 – Sucre 1856) publicados pelo Centro Studi (Quaderni Ruspoli música – Libreria Musicale Italiana 2018), no XIII Festival Música Antiqua Esteban Salas em Havana, Cuba, no dia 5 de fevereiro de 2019.

O Quarteto de cordas do Conjunto de música antigua Ars Longa de Havana estreia em Cuba os quartetos Op. 56 e 68 de Pedro Ximénez, no dia 9 de fevereiro, como parte das tradicionais estreias de obras do patrimônio musical latino-americano no Festival Esteban Salas.

Além disso, a V Itinerância apresenta ao público do Festival Esteban Salas o cravo construído no atelier de alto artesanato realizado em Havana, por Andrea Di Maio, durante a IV Itinerância (outubro de 2017; inaugurado em 3 de dezembro de 2017), com a participação de músicos do Conjunto Ars Longa e do cravista francês Ronan Khalil, em 8 de fevereiro.

A segunda etapa da Itinerância acontece no Estado de São Paulo (Brasil), onde a cantora Dalma Krajnyák, ganhadora do Prêmio Ruspoli em 2017, apresenta um recital de arias compostas para el Príncipe Ruspoli por Alessandro Scarlatti e Händel, acompanhada por alguns dos melhores músicos ‘barrocos’ do Brasil (São Paulo, 13 de agosto; Itu, 17 de agosto.)

A protagonista da última etapa da Itinerância, na Universidade Nacional de la Música de Lima, é a flautista Inês d’Avena, que recebeu um reconhecimento pela carreira no X Aniversário do Concurso Ruspoli em 2018 e já foi ganhadora do Prêmio Ruspoli em 2010. Em 7 de setembro, Inês e o trio peruano Arion Consort (dir. Sergio Portilla Arriola) oferecem um concerto de músicas para flauta entre Norte e Sul.de autores que colaboraram com o Príncipe Ruspoli.

Todos os músicos utilizam instrumentos da época e técnicas de execução baseadas em pesquisas musicológicas que recuperam uma forma de tocar que se perdeu no tempo. Seu objetivo é trazer ao conhecimento do público compositores e obras do passado, renovando o interesse e ampliando a compreensão sobre a história da música.

O projeto iniciou no Castelo Ruspoli em Vignanello, próximo à Roma, onde Giada Ruspoli e o Centro Studi criaram em 2009 o Concurso que comemorou 10 anos em 2018. Sob a direção artística de quem escreve, o concurso nasceu para honrar a memória do Príncipe Francesco Maria Ruspoli (Vignanello 1672 – Roma 1731) e promover o espírito do maior mecenas de Roma no século XVIII, que acolheu alguns dos melhores artistas, poetas e músicos da época, como Corelli, Hotteterre, Caldara, Alessandro Scarlatti e Händel.

Anualmente, são realizadas duas seções do concurso: Música Barroca, onde participam profissionais de canto e instrumentistas, e Estudos Musicológicos, onde investigadores apresentam seus ensaios sobre produção barroca. Os ensaios selecionados são publicados na Miscellanea Ruspoli.

Por ocasião do 10º aniversário do Concurso Internacional Ruspoli (12-14 de outubro de 2018), o Centro Studi entregou um reconhecimento especial pela carreira musicológica a Ursula e Warren Kirkendale e um reconhecimento pela carreira musical ‘barroca’ – reservado aos vencedores das edições 2009-2017 do Concurso – a Filippo Mineccia (controtenor).

Além disso, o Centro Studi realizou o primeiro Congresso Internacional sobre Francesco Maria Ruspoli e o seu mundo. O Centro Studi juntou-se a Associação Cultural Ruspoli também para lançar o Concurso de Estudos musicológicos Euro-Latino, bienal e a publicação Quaderni Ruspoli (II-2018), que inclui os ensaios selecionados no Concurso – uma oportunidade a mais para promover internacionalmente a cultura da qualidade musical e o intercâmbio entre Europa e América Latina (Giorgio Monari).

Giorgio Monari

Giorgio Monari, musicólogo, é o diretor artístico do Concurso e da Itinerância Musical Ruspoli. Suas investigações abordaram o estudo da estética da interpretação musical e da história dos conceitos musicais aplicado a diversos períodos da história da música e às relações musicais euro-latino-americanas. Além disso, contribuiu no manual universitário Musiche nella Storia (Carocci, 2017) e na enciclopédia Il Medioevo (2009), editada por Umberto Eco. Publicou em 2017 a tradução italiana dos estudos de Ursula Kirkendale sobre Handel em Roma, Georg Friedrich Händel, Francesco Maria Ruspoli e Roma (LIM, 2017).